Participação, democracia e modernismo

PDG CL Ernesto Martin Barmann *
"Cada cabeça uma sentença!", há longos anos e até séculos, essa frase já era propalada e aplicada, e....................... não é que, se trata de uma verdadeira realidade!.

Em absoluto pretendemos que este escrito tenha a finalidade de polemizar, contestar, anarquizar, ou interferir nas opiniões e posicionamento formados ou fixados, quanto menos, transformar este assunto, de plausíveis e possíveis interpretações bem divergentes ou diferentes, em "Cavalo de Tróia" para servir de interesses escusos ou proselitistas, meramente gostaria de esclarecer e tornar conhecido, o nosso ponto de vista, baseado no sistema de funcionamento inovador que criamos, aprovamos e no qual, investimos colhendo e tendo retorno com um absoluto e palpável sucesso.

Estou completamente de acordo que, "Repensar o Leonismo", seria um sofisma e uma pretensa incorreção de avaliação na sua aplicação, pois devemos partir da premissa da realidade inconteste que, "O Leonísmo vai muito bem, Graças a Deus, o que não vão tão bem, são os Leões!".

Basta dizer que em 90 anos de gloriosa e profícua existência e tendo passado por todos os tipos de percalços, perseguições, guerras mundiais, posicionamentos antagônicos e tentativas frustradas de mudanças ou mutações como, foi o caso no nosso país há anos atrás, com o inexplicável e constrangedor surgimento do "movimento separatista" comandado por Brasília pretendendo fundar o "Lions Clubes do Brasil", renegando Oak Brook, no entanto, o Movimento sobreviveu e continua sendo e permanecendo estóica e altivamente como "a maior entidade de serviços humanitários do mundo" e, como se isto não for suficiente, temos o orgulho de ser "a única entidade com "cadeira cativa" de "Membro Fundador" na condição de "Conselheira" na Organização das Nações Unidas - ONU, e ainda é de suma importância frisar que, não sofreu alterações ou reformas significativas na sua estrutura básica, ou do alicerce implantado, colocado e assentado em 1.917 por Melvin Jones e os seus integrantes.

O expressado pelo PDG Alexandre Campos da Costa e Silva de que a repensagem deve começar "na admissão do futuro associado" é de uma analítica plenamente acertada, dentre um rosário de outros motivos perfeita e patentemente válidos; realmente este é um dos mais marcantes no inicio ou começo, e a gente observa nas posses e fundações de Clubes, os elementos que são incorporados, sem a devida avaliação do candidato(a) pela Comissão de Associados e emissão do parecer com referencia a vida pregressa e atual, seja comercial ou empresarial, jurídica, etc., sem ao menos ter recebido o mínimo ou menor contacto com conhecimentos leonísticos básicos, sem haver sido conscientizados dos deveres, obrigações e responsabilidades, tanto pecuniárias como de atividades, etc., arrolados e aleatoriamente convidados e convocados nada mais do que para fazer número ou angariar premiações e que ao pouco tempo, estes elementos incorporados, alem de nada fazer pelo Clube não pagam as mensalidades e taxas, não freqüentam e acabam saindo ou a maioria das vezes tem que ser demitidos pela alínea 4: "falta de freqüência e pagamento", estabelecendo um corte e solução de continuidade no prejuízo que estão ocasionando ao pecúlio ao Clube e ao bolso dos associados, que têm que se prontificar a arcar ou pagar a parte do inadimplente (geralmente o débito inclui até inclui a Jóia Internacional e a taxa proporcional do semestre que, nunca foi paga por eles).

Não que pretendamos ser elitistas, discriminantes ou pré-conceituosos, mas convenhamos, é um direito humano e sacrossanto de termos companheiros com os quais possamos convive, tecer amizade, camaradagem, companheirismo real e verdadeiro e confraternizar sem temor, dúvidas ou outro motivo de qualquer anomalia que possa entorpecer o relacionamento honesto e sadio, não tendo que temer ser enquadrado por "formação de quadrilha".

Considerando o assunto Conselhos Distritais, concordo que deve ser de máximo 01 (um) dia, a não ser que seja a 4ª Reunião que é coligada à Convenção do Distrito em que o ideal é ½ dia para o CD, à noite a abertura oficial da Convenção (geralmente parte social e seguida de um coquetel) e no dia seguinte, as reuniões de trabalho "sempre", com uma pauta ou programação eficiente, detalhada e concreta, evitando-se longos pronunciamentos geralmente sem eficácia ou finalidade prática e, meramente para aparecer ou se manter sob "a luz dos holofotes e pretendendo ficar em voga na vitrine".

E complementando á noite com um jantar de encerramento e confraternização por adesão (paulatinamente estamos substituindo este por almoço, já que muitos, terminados os trabalhos da tarde, especialmente os que não residem em cidades longínquas a fim de evitar despesas com hotel, retornam aos seus lugares de origem).

Se bem os Conselhos Distritais são Administrativos, no Distrito LD-1 desde o AL 2.004-2.005, foi achado por bem com o intuito de melhorar as condições de participação, ativação e reconhecimento tácito, que os "Presidentes de Clubes" Estatutariamente, passem a integrar e fazer parte do CD como "Membros Deliberativos" com total e ampla "voz e voto" e não mais como somente Membros Consultivos.

É sabido que muitos, não concordam ou aceitam esta mudança por nós realizada, más tendo sido aprovada e aceita por absoluta maioria no nosso Distrito, tanto dos Membros Deliberativos como pelos Delegados na Convenção, hoje é um fato consumado e uma realidade Regulamentada e regida Estatutariamente no Distrito LD-1, com um funcionamento esplendido e positivo, sem mais, sofrermos com a clássica falta de quorum, com bastante aproveitamento, trabalho, moções, participação direta e funcional tanto pelos relatórios de atividades como dos Presidentes de Divisão no que se refere as suas visitas e Comitês Assessores e os relatórios da Divisão sob sua orientação, e tudo isso sem se transformar ou converter numa "Mini Convenção", despertando o interesse de todos os componentes dos clubes em função do seu "Presidente", ter "voz e voto" defendendo os interesses dos seus respectivos Clubes e mancomunando esforços, os proveitos e benefícios almejados ou pretendidos pelo Distrito num todo dando um retorno de alto e vantajoso ganho. Ainda o que achamos de suma importância, a motivação e reconhecimento de que na realidade faz e da vida ao Leonismo, os Clubes dirigidos e administrados pelo "Presidente".

Cabe ressaltar e deixar bem explícito que em nível de Lions Internacional (muito consultados os Departamentos competentes como são Jurídico, Estatutos e Regulamentos, etc.), nada existe que seja antagônico, possa ferir ou ir contra das diretrizes motoras ou funcionais, assim como nada consta em referencia ao assunto, basta dizer que foi criada por eles, uma Comissão especial para estudar e analisar o funcionamento da inclusão dos Presidentes dos Clubes na mecânica dos Conselhos Distritais, mesmo que "eles" não interferem nem participam nas decisões, respeitando na íntegra, a "autonomia" tanto dos Clubes como dos Distritos.

Em momento algum e sob hipótese alguma houve sobreposição, mudanças á revelia estrutural de seja o que for, foi tudo perfeitamente harmônico e convenientemente em conhecimento total de Lions Internacional, tendo o orgulho de havermos tido o respaldo e como porta-voz a nível internacional o grande e nobre Diretor Internacional, hoje PID CL Sebastião Braga. A indiscutível satisfação que podemos a viva voz divulgar é que, muitos paises adotaram este sistema por nós posto em prática e, após 3 (três) anos e gestões com comprovada efetividade, ainda recebemos inúmeras consultas de como e de que maneira é aplicado, legalizado ou se faz funcionar.

O IP CL Jimmy Ross, desde o seu primeiro contato propalou que "devemos inovar, lançar novas idéias, realizar mudanças aplicativas modernistas e práticas para o bom funcionamento do Lions". Deixemos de lado o ostracismo, a acomodação em que nos colocamos, a letargia e a falta de atividade, esqueçamos aquele parafraseado: "já fiz a minha parte, agora que os outros façam!", devemos constituirmos em exemplo, transmitir e repassar as experiências por nós aquilatada, ajudar e mancomunar esforços com os líderes e dirigentes que estão nascendo e surgindo.

Tornemos a fazer o Leonísmo promissor, efetivo, participativo em prol das comunidades e do mundo!.

Carinhosas saudações Leonísticas


PDG CL Ernesto Martin Barmann * PDG CL Ernesto Martin Barmann
Lions Clube Curitiba - Centro
4º Clube no Brasil
Moderador do CIRCLE LP pelo LD-1
E-mail: barmann@terra.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".