A força do terceiro setor com a rede nacional de Lions Clubes do Brasil

CL Paulo Lamego *
O Primeiro Setor é o Estado, o Segundo Setor formado pelas empresas privadas com fins lucrativos e o Terceiro Setor composto por Organizações da Sociedade Civil. O Terceiro Setor é constituído por organizações privadas sem fins lucrativos. Elas têm como objetivo o desenvolvimento político, econômico, social e cultural em seu âmbito de atuação.

Uma das características do Terceiro Setor é a sua diversidade, pois são muitas as organizações com missões e ações voltadas para públicos distintos. Compõem este Terceiro Setor as organizações não governamentais (ONGs), as associações, as fundações, as cooperativas, as entidades assistenciais, etc.. Andres Pablo Falconer (1) em entrevista à Folha de São Paulo em 16/12/2003 define claramente o papel de algumas das organizações do Terceiro Setor:

"Influenciar políticas públicas é o objetivo a que se propõem muitas organizações de ponta. Além de oferecerem serviços, elas fiscalizam, complementam e apóiam a ação de governos. Além disso, funcionam como laboratórios de inovação social, como canais de participação social e como formadores de novas lideranças. A experiência internacional mostra que, onde o terceiro setor é mais forte, o Estado é mais presente e eficaz, contrariando a crença de que o setor visa substituir o Estado".

Os nossos Lions é um clube de serviço cuja característica básica é a prestação de serviços à comunidade conforme estabelecido no seus estatutos, mas não deixa de ser uma Organização Não Governamental. Há os que difundem que um Clube de Lions não é uma ONG, sem que haja nenhuma tese que fundamente esta afirmação. Como esta bem definida por Andrés, que quanto mais presente e atuante for o Terceiro Setor mais presente está o Estado.

Como somos células operacionais funcionando tanto nas grandes capitais e até em pequenos municípios, nossa organização esta perfeitamente atrelada a este modelo de presença, evidentemente que alguns com grandes e outros com pequenas atuações mais integram a essa grande rede com os mesmos objetivos e valores éticos e morais que norteiam as nossas atividades e ações humanitárias e o serviço desinteressado.

Criar a Rede Nacional de Lions Clubes do Brasil, uma organização que agregaria todos os clubes legalmente constituídos e reconhecidos de Lions Internacional de todos os Distritos do Brasil, com representatividade paritária e eqüitativa entre os distritos e coordenada por um Conselho Superior, escolhido entre seus membros, seria um grande avanço para o nosso fortalecimento enquanto Organização Social do Terceiro Setor, coadunando com a tese do Prof. Andres.

Nós estaríamos presentes nos diversos segmentos da vida nacional, nos órgãos de controle social como os Conselhos Nacionais de Assistência Social, de Direitos da Criança e do Adolescente, do Idoso, da Juventude, etc., como legítimos representantes e integrados aos demais movimentos sociais através da nossa rede. Sentaríamos à mesa para participar e debater grandes temas de interesse nacional, sermos ouvidos e ajudar a deliberar sobre políticas públicas para o desenvolvimento social, econômico e cultural do Brasil.

Dos benefícios: Imensuráveis, partindo do entendimento que há Clubes que atuam pouco não é por falta de vontade de servir, mas por falta de recursos materiais, humanos e financeiros para atenderem às suas demandas e necessidades da comunidade onde o mesmo está inserido. A Rede Nacional de Lions Clube do Brasil funcionará como um elo de forte ligação entre os clubes e as Políticas Públicas e os agentes públicos, atuando diretamente na captação de recursos, na defesa dos pleitos realizados através de projetos sociais oriundos dos clubes/distritos e assessorar na aplicação, acompanhamento e controle na efetivação dos mesmos.

Controle Social: Para ser conselheiro e ter acento aos Conselhos Nacionais é necessário que a entidade tenha uma representatividade no mínimo em cinco estados da federação, ou que a mesma seja representada por confederações, a exemplo das Misericórdias do Brasil que já presidiu o Conselho Nacional de Assistência Social - CNAS e hoje mantém um Conselheiro representante eleito naquele colendo CNAS defendendo os interesses de todas às suas afiliadas pelo bem comum. Se seguirmos o que manda a legislação, nós os Lions atendemos este requisito, estamos presentes e organizados em todas as cinco Regiões do Brasil e somos reconhecidos a nível Nacional como Entidade de Utilidade Pública Federal, mais não fazemos e nem usamos esta prerrogativa tão importante para o nosso fortalecimento como organização de força nacional e parceira para o desenvolvimento social do nosso País. Fragmentados somos pequenos, mas unidos e organizados num único comando, prevalecendo à autonomia de cada clube seremos uma das maiores forças organizadas deste País e os frutos e dividendos serão sentidos em nossas comunidades dentro de um critério justo de reconhecimento e apoio que os nossos CCLL associados dos Lions Clubes de localidades mais interiorizadas deste imenso Brasil receberão para o enfrentamento dos desafios às suas demandas sociais.

Defendo a criação desta Rede, idéia que para muitos é impossível, talvez uma loucura ou utopia, mas quando Melvin Jones pos em prática sua idéia ele não pensou somente nas boas notícias, mas também nas dificuldades e nos pensamentos contrários, atitudes e críticas pessimistas, pois se tivesse dado ouvido provavelmente o Lions não existiria hoje nem prosperaria por 90 anos.

"Nada é impossível para aquele que crer". Creio que com a materialização desta nossa proposta, a Rede Nacional de Lions Clubes do Brasil, uma necessidade importa pelo Estado moderno, nossa presença e Missão serão ainda mais fortalecidas e assim estaremos dando um importante salto para novas conquistas na construção de um Brasil melhor para todos, porque "Nós Servimos".


CL Paulo Lamego * CL Paulo Lamego
Lions Clube de Goiânia - Sul Distrito LB-2
Assessor do Gabinete do Governador LB-2
E-mail: paulolamego_gyn@yahoo.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".