A importância da customização da gestão

VDG João Lopes da Cruz Neto *
No destaque de sua primeira mensagem, ensina Jimmy M. Ross, após ser empossado como Presidente de Lions Clubs International. "Como os Leões podem mudar o rumo". "Precisamos primeiro cuidar das nossas próprias comunidades, onde os nossos companheiros vivem". Por sua vez Mahendra afirma que a mudança é inevitável e o ritmo das mudanças no futuro será ainda mais rápido do que no passado.

A propósito de sua afirmação, temos observado através de pesquisas, que a renovação dos dirigentes do Leonísmo que ao longo dos anos permanece imutável, isto é, com o critério anual. Diante das mudanças nas últimas décadas, muitas transformações foram adotadas no cenário internacional, no sentido de minimização dos custos operacionais das empresas especialmente as Multinacionais.

Entretanto, o Lions mesmo com o avanço de sua informatização a nível internacional, terá muita coisa a ser ajustada no cenário estrutural, sobretudo considerando as desigualdades econômicas, sociais e culturais entre países do primeiro e terceiro mundo, no sentido de atender as aspirações e objetivos do Presidente Jimmy M. Ross. Enquanto isto, Mahendra prova com dados substanciais que o Lions atingiu seu ápice no ano de 1995-96 quando o número de associado chegou a um total de 1.425 mil alcançando aí o seu grau de saturação. Neste estágio Mahendra apresenta muitos desafios, tendo em vista a queda vertiginosa do número de associados que conforme o relatório de Lions Internacional do mês de outubro de 2007 apresenta um contingente de 1.293 mil associados.

A mentalidade do conservadorismo tem contribuído fortemente para a manutenção do status quo, razão pela qual tem acarretado um custo muito elevado, não só para a gestão, dos clubes; mas sobretudo para a Convenção Internacional, mesmo considerando que o processo democrático por meio de eleição, tem sido uma prática que já vem sendo utilizada há algum tempo, todavia em nada impede que se adote uma fórmula de Customização da Gestão, como previo Jimmy M. Ross, com a redução do programa de quota família, a redução de 50% da quota para estudantes universitários e outros incentivos. Mahendra conclama a todos os escalões de cima para baixo e de baixo para cima. Além disso estabelece um forte programa de premiação como forma de incentivar a retomada de êxito da organização Lions.

Este modelo continua válido, todavia com relação ao prazo, está a merecer uma reflexão no sentido de sua ampliação em face do processo facilitador proporcionado pelos avanços da Tecnologia da Informação da Era Digital e da Globalização, notadamente não só no que diz respeito à minimização dos custos direto e indireto versus Clube/Associado, más especificamente no que se refere à relação do custo/beneficio, com a esperança em um futuro muito breve melhorar a qualidade de assistência as Entidades Assistidas por cada Clube.

O objetivo da proposição é melhorar a qualidade da gestão. Hoje já é possível em face de vários fatores entre os quais destacamos a minimização do custo financeiro com a intensificação do uso da tecnologia da informação com a utilização de teleconferências e da internet.

Dois componentes que por si só já justifica a melhoria do grau de eficiência do processo burocrático em face de sua racionalização e conseqüente melhoria de eficácia da gestão de cada Clube de Lions.

A afirmação de Jimmy M. Ross, traz uma grande esperança de fortalecimento das metas de levantamento de fundos, no sentido de atender uma série de outros objetivos de sua gestão a exemplo da Campanha SightFirst II. Esta meta vem alcançando seu objetivo, pois também constitui uma prioridade na gestão de Mahendra.

Todavia, com o avanço da tecnologia da informação, nos dias atuais o homem como um ser político por natureza, tem sido mais informado e conseqüentemente atualizado com tudo que se passa não só em torno da terra mas também em todas as galáxias envolvendo de certo modo, todas as nações a onde está presente o Lions Internacional.

Neste sentido a ampliação do seu universo de conhecimento, é um fato inquestionável, gerando evidentemente uma expectativa de maior competitividade entre os modernistas (simpatizantes) e os tradicionais (conservadores mais resistentes e contrários ao processo de mudança), considerando, todavia, que isto faz parte do modelo democrático.

Diante do avanço da modernidade, a satelitização foi um fato inquestionável para a Globalização dos mercados. Pois assim, estamos convivendo hoje com a economia da era digital. Isto é, a informação na velocidade da luz.

Tudo isto, se constitui numa justificativa para que os dirigentes de Lions possam ter o seu período de gestão ampliado, até porque o processo de renovação vem alcançando certa dificuldade de perfil de gestor, com as características motivacionais, não só de dedicação ao voluntariado previsto na filosofia do Leonísmo, mas sobretudo pela necessidade de se identificar com nova concepção de gestão integrada baseada na filosofia sistêmica, fundamentada na base de desenvolvimento de software de gestão automatizada.

Tal procedimento já vem ocorrendo no cenário mundial, especialmente no que diz respeito à minimização de custo da gestão operacional, a exemplo das Empresas Multinacionais.

Não deixa de ser desgastante e oneroso para qualquer dirigente ser obrigatório a participar de tantos eventos num curto espaço de tempo, seja ao nível de Clubes, Distrito LA-3, Distrito Múltiplo e até nas Convenções Internacionais.

Assim, com a ampliação do prazo no mínimo dois anos a programação seria mais bem atendida e a flexibilidade dos custos seria diluída de forma mais racional.

O modelo atual (um ano) vem criando dificuldade para se obter uma boa qualidade dos serviços de cada dirigente de Clube. Até porque honrar os compromissos de gestor e também da responsabilidade social no cumprimento dos objetivos e metas da gestão, tem se caracterizado em um fator desestimulante para qualquer dirigente da estrutura de gestão atual do Lions Internacional.

Tal fato vem sendo observado sempre por ocasião da formação da chapa de renovação, seja em nível de Clube, de Distrito e sobretudo para a Presidência Internacional, por mais que favoreça o processo de informatização dos Clubes de Lions, ainda tem sido muito pouco o uso das teleconferências em nível de lions, mais uma realidade bem definida no setor empresarial.

Lamentavelmente o acesso à internet, ainda não chegou ao alcance de todos, em decorrência de vários fatores desenvolvimentistas entre os países do primeiro e terceiro mundo, neste último, a falta de vontade em estabelecer prioridade no desenvolvimento de políticas púbicas de projetos de inclusão digital, ainda se constitui numa grande resistência dos seus governantes, sobretudo dos países subdesenvolvidos e em via de desenvolvimento.

Vale aqui destacar a experiência de Jimmy M. Ross, na organização de mais de 200 Clubes. "Hoje, os Lions Clubes precisam do que eu chamo de Mudança de Rumo" diz Ross. "precisamos ajudar Lions Clubs International a melhor atender às necessidades dos nossos clientes - associados individuais. Pergunte aos associados e aos possíveis associados o que eles querem como Leões e trabalhe então para atender a estas necessidades. Somente assim, fortaleceremos a base de nossos clubes, distritos e da associação".

Diante da sugestão da flexibilidade apresentada, se faria uma adequação mais light das programações das reuniões e eventos dos Clubes e dos Distritos de Lions Internacional. Tudo isto, com certeza se criaria mais estímulo de participação dos associados, não só na programação dos clubes locais; mas sobretudo, nas convenções distritais ou quiçá quem sabe também nas convenções internacionais.

Segundo Ross, também planeja melhorar o treinamento oferecido aos Governadores de Distritos eleitos e nesse ínterim preparar o caminho para o aumento de associados nos próximos anos. "Sei que um aumento fabuloso não pode ser conseguido em um ano porque leva, eu diria, de cinco a sete anos para que um plano seja implementado com êxito, para criar o clima apropriado para as pessoas que desejam ser associadas do Clube".

Assim, ao concluir a proposição da elasticidade de prazo da gestão dos Clubes de Lions, esperamos que as programações de suas atividades sejam melhoradas em todo Universo Leonístico, não só pela minimização dos custos da gestão, mas sobretudo, pela dilatação de prazo e conseqüentemente a redução dos elevados gastos dos associados, criando assim, uma melhor expectativa para o ingresso de novos associados.

Por fim, neste contexto, estaríamos dando um grande passo para o Lions do Futuro.


VDG João Lopes da Cruz Neto * VDG João Lopes da Cruz Neto
Vice-Governador do Distrito LA-3
E-mail: jmgcruz@terra.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".