SOS Lions

CL Antonio Benson Junior *
Companheiros(as) Leão, se algo me preocupa bastante em relação ao Movimento Leonístico, já que de algum tempo para cá tenho tido a oportunidade de trocar idéias com companheiros de outros distritos e até alguns do exterior, é o fato de sermos, em grande maioria da terceira idade, com pouquíssima renovação representada por pessoas mais jovens, guardadas as devidas proporções e as honradas exceções.

Sabemos que o que importa é a idade fisiológica e não a cronológica. Mas a minoria, dessa grande maioria, é formada de pessoas que desafiam a idade cronológica e provam que a idade fisiológica é a mais importante, trazendo ao movimento seu entusiasmo, sua experiência, sua capacidade de trabalho, calcada nos muitos anos de labuta. Infelizmente vamos paulatinamente perdendo esses heróis, ao longo do tempo, pelo obstáculo inexorável que lhes impossibilita vencer, ou seja, a morte.

A outra parte prefere ficar à margem, pretextando já ter sido útil no passado, evitando os desafios do lema "Nós Servimos", porque se acha cansada da luta. Esses companheiros(as) se esquecem que existem várias formas de servir e se fisicamente têm limitações, suas mentes são fundamentais para o norteamento de um movimento que foi criado com espírito altamente altruístico, para que o ser humano se desligasse um pouco do seu umbigo e olhasse para os seus semelhantes de forma fraternal e cooperativa.

Além de cumprir o lema "Nós Servimos" que cada companheiro(a) leão se propôs ao entrar para o movimento, ele(a) deveria servir de paradigma para a sociedade. De que forma? Simplesmente mantendo uma conduta ilibada baseada no Código de Ética, que embora criado há décadas, ainda serve como guia de comportamento. Além disso, não custa nada ser gentil com as pessoas ao seu redor, tratando-as como semelhantes e não concorrentes, sendo cooperativo(a) no trânsito, não competindo por lugares em teatros, quando os assentos não são reservados, cinemas, locais públicos, onde muitos se atropelam apenas pelo instinto de vencer a competição em busca de assentos vazios, colocando bolsas, blusas etc para reservarem para a sua turma. (Já vivenciamos este fato em evento do Distrito e lamentavelmente poucos protestaram!).

A vida em sociedade exige um espírito de cooperação fraterna e cada um deve saber seus direitos, seus deveres e obrigações, respeitando os dos demais. Na minha modesta ótica, o companheiro(a) leão deveria ser o arauto desse espírito de cidadania dando exemplos de como viver em sociedade. Só esse procedimento, se o tomássemos como missão, já justificaria a existência do Movimento Leonístico.

Se não conseguirmos ter uma conduta irrepreensível, tanto quanto possível já que não somos perfeitos, não seremos exemplos nem para os nossos filhos, netos, quanto mais aos amigos que pretendemos convidar para que ingressem no movimento. Mas não basta só ter uma conduta ilibada e viver como um eremita. Há necessidade de servir ao próximo regularmente e não esporadicamente, até mesmo para melhorar a auto-estima, o astral, o humor e reforçar a fé a fim de vencermos os obstáculos da vida que o cotidiano sempre, de forma inevitável, nos apresenta no dia-a-dia. Ter a consciência do dever cumprido como cidadão nos traz muita serenidade e os reflexos de uma boa ação se transformam em bálsamo para a nossa vida. Assim, quando fizermos nossas preces, teremos a convicção que merecemos a dádiva pedida, por termos respeitado os preceitos de Cristo, ou seja. " Amai-vos uns aos outros ".

Outro dia ouvi uma frase que me fez rir e ao mesmo meditar: "A vida é maravilhosa para quem "topa qualquer parada" mas não é para quem "pára em qualquer topada". Se nós toparmos qualquer parada que exija nossa participação a fim de ajudarmos os necessitados, não precisaremos pedir aos amigos que venham ao movimento. Eles virão naturalmente desde que se identifiquem com as causas que defendemos. Nossos filhos, netos, se sentirão emulados em se engajarem em nossas lutas e se sentirão honrados em pegarem nossos bastões no futuro, até para preservarem nossa memória. Aí sim, revigoraremos o nosso movimento.

Por outro lado, o movimento precisa se modernizar. O mundo mudou com a globalização, automação, com o avanço tecnológico, com a internet etc. Cada Distrito deve necessariamente definir pelo menos um foco como objetivo e fazer dele sua bandeira, planejando e implementando metas concretas para que todos possam cumpri-las. Os clubes pertencentes a este distrito podem ter seus próprios programas assistenciais e sociais, mas devem prioritariamente apoiar o distrito em seu objetivo, já que ele deveria ser seu grande mentor para que as ações sejam efetivamente coordenadas.

O grande foco do Lions Internacional sempre foi erradicar a cegueira reversível (SIGHTFIRST), objetivo este que Helen Keller, na década de 20, suplicou aos pioneiros do Lions e foi atendida de forma plena e maravilhosa, como todos sabem. Este foco certamente foi "a alavanca" que permitiu a ampliação do movimento por 200 paises, atingindo mais de um milhão e meio de associados.

Outro programa neste sentido criado pelo Lions Internacional mais recentemente é o "SIGHT FOR KIDS", preservando a visão de crianças, que representam o nosso futuro. No Distrito LC-2 tivemos recentemente uma das ações deste programa, especificamente no dia 20 próximo passado, na zona leste da Capital e num só dos postos que estivemos, foram atendidas mais de 900 crianças, sendo que pouco mais de 100 saíram com óculos e solucionados diversos problemas oculares.

O Distrito LC-2 no início da década de 90 instituiu como foco "Feiras de Saúde" e embora fossem parciais em seus objetivos, fizeram com que o movimento, em nosso Estado de São Paulo, tivesse mais visibilidade. O Distrito, por sua representatividade política, deveria ter alinhavado acordos com a Prefeitura e o Estado para a complementação destas ações que identificavam os portadores de diabetes e pressão alta, mas não os encaminhavam para tratamento monitorado. Apesar disso, foi uma excelente iniciativa, aperfeiçoada pelo companheiro Dr. Hiroshi Takahashi em sua gestão 93/94, focando o Diabetes e Pressão Arterial como doenças prioritárias.

Infelizmente as Feiras da Saúde estão sendo abandonadas e sinceramente desconheço as causas. Estas ações na área da saúde, que o nosso distrito teve a idéia de chamar de "Feiras da Saúde" e me lembro que a expressão "feira" foi muito criticada, é hoje um dos focos do Rotary em São Paulo, sendo que essas ações inclusive encaminham pessoas para o nosso Instituto da Catarata e mantém a mesma denominação por nós intitulada. O Rotary ultimamente vem desenvolvendo essas ações, utilizando-se dos mesmos parceiros que conquistamos no passado para nos auxiliarem neste mister e numa freqüência muito maior do que aquela que até então fazíamos no Distrito LC-2 em gestões passadas.

Freqüentemente ouço lamúrias sobre fechamento de Clubes em nosso Distrito e diminuição do número de associados e me pergunto : Qual é o foco do Distrito LC-2? Como estão funcionando hoje os clubes do Distrito? Quais são seus objetivos e metas atuais? Como estão seus quadros de associados e seus planos de expansão? Como estão seus programas sociais e beneficentes ou assistenciais?

Se não conseguirmos respostas a essas perguntas, o que faremos ao convidarmos um possível candidato? Diremos aquilo que gostaríamos que o movimento fizesse e não o faz e corremos o risco de decepcioná-los depois?

Como costuma dizer meu caro amigo Roberto Shinyashiki, renomado psicanalista, escritor de vários livros de auto-ajuda : "Quem planta "objetivos" colhe "ações" mas quem planta "tanto faz", só pode colher "quem sabe um dia..." ou na melhor das hipóteses, colhe "talvez!" .

Meu propósito não é criticar ninguém, pois relato apenas fatos que todos podem observar no cotidiano e contra fatos não há argumentos. Embora não seja o dono da verdade, tentei anos atrás alertar alguns companheiros/as do movimento, para que fosse criado um "Fórum de Debates" sobre o futuro do Lions em geral, onde todos poderiam discutir as mudanças necessárias para se revigorar o movimento. Não fui feliz, com certeza porque não tenha tido a capacidade e a habilidade de sensibilizar alguém com força dentro do movimento para liderar esse evento e se eu tivesse tido a ousadia de tentar fazê-lo, certamente por não ter a necessária representatividade, seria mal interpretado e possivelmente não conseguiria arregimentar número significativo de companheiros/as que pudessem realizar algo importante.

Alguns companheiros(as) poderiam pensar que eu estaria me colocando numa espécie de oposição a um movimento que não pode nem deve ter correntes políticas. Divergências de idéias são salutares, mas grupos antagônicos não podem jamais existir. A impressão que ficou em mim após a malograda tentativa, foi a de que não interessava aos líderes da época, mudanças, pois já estava difícil se conseguir candidatos à governadoria do jeito que estava o distrito, imaginem se fosse feita uma reformulação, pois isso demandaria muito esforço e trabalho redobrado, talvez pensassem assim.

Quem sabe um dia apareça no distrito alguma pessoa candidata ao cargo mor, com respaldo de um grupo realizador, já que ninguém consegue fazer nada sozinho, que não se preocupe apenas em acariciar seu próprio ego e tenha a coragem de enfrentar os desafios da transformação e o discernimento de conduzir o processo sem traumas, valorizando apenas os que trabalham de forma idealista, relegando a outro plano os companheiros/as que adoram cargos para enriquecerem seus "cartões de visita", mas odeiam encargos, pois lhes faltam tempo e disposição para o trabalho requerido.

Além disso, a governadoria tem a obrigação de cobrar "Programas de Trabalho" de seu "Staff", segundo suas diretrizes fixadas no início da gestão e administrar os resultados, premiando os(as) companheiros(as) e os clubes que tenham cumprido suas metas. Os membros do "Staff", embora voluntários como todos nós, devem estar "comprometidos" com suas funções e honrar os objetivos dos cargos que, de livre e espontânea vontade, aceitaram exercer.

Por outro lado temos perdido alguns companheiros que muito se dedicaram ao movimento, simplesmente pela falta de reconhecimento aos esforços despendidos pelos mesmos. Alguns líderes se deixam levar pelo egocentrismo e ignoram o item do Código de Ética "Ser comedido na crítica e generoso no elogio, construir e não destruir".

Assumamos o compromisso de deixar a vaidade de lado e pensarmos no bem comum, senão corremos os riscos de contemplarmos o fim do movimento em nosso distrito nas próximas duas décadas. Mas ainda acredito, como muitos companheiros(as) e por isso faço meu desabafo através deste modesto e desesperado texto, na esperança de um dia despertarmos para a realidade e assim, num esforço sinérgico, podermos transformar nosso Distrito num exemplo para o Lions Internacional.


* CL Antonio Benson Junior
Membro e Instrutor da Escola de Liderança do DLC-2
Secretário do Lions de São Paulo - Ipiranga
E-mail: abensonjr@terra.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".