Falando sobre o Código de Ética do Leão

CL Ivann Krebs Montenegro *
Antes de abordarmos os componentes do Código de Ética dos Leões e por conseqüência do Leonismo, principalmente em nível de clubes, estruturado sobre sete verbos no modo infinitivo, porque infinito é o Movimento Leonístico e infinitas são as possibilidades de exercermos , através do LIONS, a nossa ação de cidadania, a nossa obrigação comunitária e o nosso dever de sermos suportes sociais para o próximo, necessitado de vestuário que o abrigue das variações climáticas, da alimentação que lhe fortaleça o corpo, da medicação que lhe cure os males, da água que lhe mitigue a sede, da escola de companhias que lhe aprimorem a cultura, de palavras que o mantenham no bom caminho, de carinho que lhe massageie o seu Eu, de confiança que lhe alimente a alma e de esperanças que lhe alicercem a construção do amanhã, importa dizer-lhes o que seja ética.

Ética é a ciência da moral, portanto, tudo que concerne aos princípios da moral, e segundo o filósofo SPINOZA, no aspecto de suas idéias morais, nada mais existe do que uma substância infinita da qual conhecemos dois atributos: a Extensão (espaço) e o Pensamento, pois as coisas finitas nada mais são do que modalidades desses atributos.

Por oportuno, diga-se, a exemplo de Huberto Rohden, que segundo o eterno princípio da lógica, o Infinito só pode manifestar a sua absoluta infinitude segundo a medida do recipiente relativo das finitudes, em que se manifesta parcial e imperfeitamente e, ainda, neste sentido, diz-nos a sabedoria milenar de Bhagavad Gita: "A teia da aranha revela a aranha, mas também a vela (esconde)".

Isto significa que todo o finito só pode revelar finitamente o infinito, porque necessariamente o descobre e o encobre e a matemática nos revela que todo o finito em demanda do Infinito, manter-se-á, sempre, a uma distância infinita, daí a nossa concepção da substância infinita, de cujos atributos, mencionamos a dimensão em superfície e a faculdade de conceber idéias.

Mas, vejamos o que diz o nosso Código de Ética do Leão, que é lido em todas as solenidades relativas à posse de novos integrantes do Lions e, amiúde, divulgado nos Boletins dos Lions Clubes, dos que os editam.

DEMONSTRAR fé nos méritos da minha profissão, esforçando-me para conseguir honrosa reputação, mercê da excelência dos meus serviços.

Demonstrar significa expor claramente alguma coisa, algum pensamento, ou uma idéia. Demonstrar é provar de maneira incontestável aquilo que se é, que se afirma e que se faz, porque fazer é um componente da estrutura da criatura humana, pois nós somos aquilo que fazemos, principalmente o que fazemos para mudar o que somos.

Fé nos méritos da minha profissão indica a autoconfiança e denota aquilo que faz um Leão digno de elogio, de reconhecimento, de merecimento, de recompensa pelo trabalho que desenvolve, que lhe assegura, evidentemente, o poder de atrair a consideração, de destacar a reputação, o conceito que merece na sociedade em que atua, mercê da excelência dos seus serviços.

Sabiamente, o Lions destaca a demonstração dos méritos da profissão e é exatamente visando a sua capacidade profissional que o Clube diversifica a atividade de seus membros, tornando esta Célula Leonística altamente produtiva e eclética, capaz de alcançar o êxito em qualquer campo de atuação, seja no atendimento das necessidades de pessoas e entidades carentes, como na defesa intransigente das questões de meio ambiente, do suporte da vida na natureza.

É por isso que o Lions exige a diversificação de profissão para os que nele adentram.

LUTAR pelo êxito e pleitear toda remuneração ou lucro que, eqüitativa e justamente mereça, recusando, porém, aqueles que possam acarretar diminuição de minha dignidade, devido à vantagem injusta ou ação duvidosa.

Lutar no sentido do bom trabalho, no âmbito da competição sadia e não de conflito, significa desempenhar uma atividade, orientar-se pelo sucesso, subir os degraus da sua evolução humana, observando as obrigações e deveres, como também sendo privilegiado pelo benefício que sua atividade possa resultar, em termos de remuneração, contudo, dentro do princípio da honra, da dignidade, da retidão, da honestidade, exigindo plenitude do comportamento justo e perfeito, de modo que será exatamente esta maneira de se comportar que você trará para o ambiente leonístico, enriquecendo sobremaneira , nossa cultura de amar e de servir, que são duas virtudes que consubstanciam a caridade. Nada devemos fazer que possa colocar em dúvida a nossa integridade moral e nossa conduta tem que serr mantida isenta da menor dúvida.

LEMBRAR que para ser bem sucedido nos negócios ou empreendimentos, não é necessário destruir os dos outros. Ser leal com os clientes e sincero comigo mesmo.

Lembrar é ter na mente ativa, constantemente, a recordação da necessidade de lisura, de respeito e de limites, de modo a não nos permitir pisar nos outros e nem tentar fazê-los cair, para eliminá-los do nosso caminho, pois a grande glória é vencer sadiamente a concorrência, o que nos dará brilho ao feito e nos conduzirá a sublimidade da vitória psicológica, porque é essencial, antes de qualquer triunfo contra opositores, é a vitória de vencermos a nós próprios.

Se formos corretos, sinceros e justos com nos mesmos, por certo o estaremos sendo com a vida

Implica, pois, jamais esquecermos deste princípio da boa existência, não fazendo aos outros o que não queremos que nos façam, já que o mundo dá oportunidade e espaço para todos e o próprio Deus, ao termos alcançado o topo da nossa caminhada com honradez, legítima fidelidade e em perfeita sintonia com a mente divina, apresentar-nos-á novos horizontes e nos guiará pelos caminhos que escolhermos trilhar, desde que não sejam caminhos indecorosos.

DECIDIR contra mim mesmo no caso de dúvida quanto ao direito ou a ética de meus atos perante meu próximo.

Decidir é determinar o que deve ser feito, tomar a resolução de alguma coisa e, a decisão tomada contra si próprio, no reconhecimento de uma situação de dúvida, é uma característica que denota elevado conceito ético, próprio de pessoas de espírito nobre, capazes de, em seu próprio prejuízo, atribuir a outrem o direito de determinada circunstância. Infere-se, daí, que a decisão sempre deverá seguir a certeza do mérito e que, na dúvida, sujeitemo-nos à perda do direito, sem causar dano material ou moral a terceiros. É um ato de coragem, de intrepidez, de firmeza de caráter, de princípios morais, de ética.

PRATICAR amizade como um fim e não como um meio. Sustentar que a verdadeira amizade não é o resultado de favores mutuamente prestados, dado que não requer retribuição, pois recebe benefícios com o mesmo espírito desinteressado com que os dá.

Tudo na vida tem uma característica repetitiva, com fins a um desejável aprendizado, a uma consolidação perene, daí a razão da essência da prática como instrumento positivo de existência. Praticar a amizade é exercitar o dar e o receber, porque é dando que se recebe, mas um dar alheio às perspectivas de retorno, de retribuição, de paga, porque o receber consubstancia-se, como conseqüência inevitável das leis da natureza.

A amizade tem o condão mágico de se manifestar, mesmo em situações em que seria mais lógico acreditar que ela se pudesse perder no redemoinhar de outros sentimentos e, entretanto, vemo-la tornar-se anônima, não revelada, a viver a sinceridade de cada momento, e sua prática é constante, principalmente porque ele nasce do sentimento e não da simples vontade.

Abra o seu coração e deixe a amizade fluir, em dupla via, de ida e volta., num perfeito processo fisiológico entre o cérebro e o corpo. Pratique-a sem qualquer receio. Não tema dar amizade e receber amor.

TER sempre meus deveres de cidadão para com a minha localidade, meu Estado e meu País, sendo-lhes constantemente leal em pensamento, palavras e obras, dedicando-lhes, desinteressadamente, meu tempo, meu trabalho e meus recursos.

Ter é uma condição de posse, mas, também, uma demonstração de ser, porque pouco vale ter os deveres de cidadão, senão cumpri-los e não ser, efetivamente, um cidadão, que goste da sua localidade, que dedique amor ao seu Estado e seja apaixonado doador de seu trabalho pelo seu País, pois só se pode destacar numa comunidade, projetar-se num Estado e viver produtivamente num País, quando nossos sentimentos estiverem todos voltados, todos dirigidos ao ambiente em que coexistimos. Ninguém poderá ter sucesso, ser feliz, num ambiente de que não gosta.

Portanto, é imperativo que você seja literalmente apaixonado pela comunidade, pelo Município, pelo Estado e pelo País onde vive, pois a ninguém é dado o privilégio de se dar bem num lugar de onde não gosta, a que não ama.

AJUDAR ao próximo, consolando o aflito, fortalecendo o débil e socorrendo o necessitado.

Ajudar é praticar, na sua essência, a virtude do servir e servir é o encantamento traduzido pela magia do entusiasmo que ele inspira.

Ajudar é prestar socorro, é acudir quem sofre e quem está debilitado, é amparar quem precisa, é consolar,confortar, animar e aliviar o aflito, é assistir àqueles que o mundo abandonou, é proteger quem está ameaçado, é aproximar quem se distanciou, quem se afastou do convívio salutar, é cobrir quem está nu, é abrigar das intempéries aqueles que estão ao relento, é alimentar a quem tem fome, é dar de beber a quem tem sede, é estender a mão para levantar quem caiu, não importando quantas vezes, é trazer conosco, na nossa subida, aqueles que nem sequer encontraram sua escada, seu caminho, é conhecer-se a si próprio para aprender a conhecer o seu próximo e dar-lhe o devido valor, consideração e respeito.

Desperte em você a consciência de auto-ajuda, para poder, com sua experiência, acordar os que ainda estão na escuridão da noite e que não descobriram que seu dia começa com o brilho da manhã de sua própria luz interior, energia imprescindível para que acreditemos em nosso potencial e amemos aquilo que somos e aquilo que fazemos, e que se abram os olhos da nossa vontade, onde está o sentido de nossa auto-ajuda, pois só se poderá alcançar o sucesso, o desenvolvimento, o topo de nossa escada, se nós efetivamente o quisermos, pois ninguém pode ajudar-nos a não ser que nós queiramos. Se não quisermos subir, melhorar, crescer na vida, não existe quem possa fazê-lo. Isto somente será possível se nos auto- motivarmos, auto ajudarmo-nos.

SER comedido na crítica e generoso no elogio, construir e não destruir.

O ser humano, a inacreditável criatura humana, a obra especial de Deus, é puramente gregária, é eminentemente um ser social e sociável, que vive em comunidades, em grupos e que, por conseqüência, está subordinado a um viver compatível com as normas sociais estabelecidas pela comunidade onde vive, condicionada a um comportamento previamente delineado e equilibrado em que não se permita a exacerbação do instinto, do ID, do eu genético e nem da sobreposição do comportamento condicionado, do SUPEREGO, mas onde impere o resultado do constante conflito da nossa programação genética com a programação curricular ou condicionada, que é o EGO ou auto-programação.

Em todo meio social devemos primar pelo comedimento na análise, na apreciação, na avaliação, no julgamento, na crítica, utilizando-nos da magnanimidade, da benevolência, da nobreza espiritual em exaltar o elogio, o louvor, verdadeiro bloco simbólico de pedra capaz de alicerçar o ambiente ideal para convivência, pois o Criador ao completar sua parte na criação do mundo, no campo social deixou sua obra para ser completada por nós, seus co-colaboradores, razão pela qual é nossa missão agir e viver para construir e não para prejudicar, solapar, extinguir, demolir, derrubar ou destruir, e o milagre deste acontecimento vamos encontrá-lo na excelência do relacionamento humano.

Por fim, depois de tudo que escrevi, acredito como sendo lícito perguntar: E você estimado CL e CaL? Como está a sua Ética Leonística? Demonstrar. Lutar. Lembrar. Decidir. Praticar. Ter. Ajudar e Ser, os oito verbos que, no modo infinitivo, constituem a base do Código de Ética do Leão, são na sua prática do leonismo, eticamente conjugados? Responda a você mesmo!


* CL Ivann Krebs Montenegro
Lions Clube Itabuna - Centro
Itabuna - BA - Distrito LA-2
E-mail: ivannkmontenegro@yahoo.com.br
Não deixe de ler também...
O pequeno Júlio Macarini Pacheco, no momento em que recebe o título de Companheiro de Melvin Jones

Bebê é o mais jovem companheiro de Melvin Jones do mundo

Júlio Macarini Pacheco, com apenas três meses de idade, tornou-se o mais jovem Companheiro de Melvin Jones do mundo! A ideia foi do novo Presidente do Lions Clube Novo Hamburgo - Terceiro Milênio, CL Vilnei Edmundo Lenz, que assumiu a presidência na época do nascimento do bebê, coincidentemente filho de seu antecessor no cargo, Jardel da Mota Pacheco.

 
 
 
 
Clique para voltar à primeira página

Choose other language
Escoja otro idioma
Click the UK flag for a message in English   Haga click en la bandera de España para un mensaje en español

Logotipo I Believe, do Presidente Internacional

Instruções Leonísticas
Clique para voltar à primeira página
Conteúdo relacionado:
Digite abaixo o que procura no site Instruções Leonísticas:
 

Participe do site Instruções
Leonísticas: envie artigos, notícias, links ou eventos.
Clique aqui e veja como.


Sites em destaque:

Leia a coletânea Instruções Leonísticas Motivacionais Logotipo Rosane de las Américas
Visite o site da
Dir. Internacional Biênio 2008/2010 Rosane Vailatti


Visite a Fundação Lions Internacional

Visite o site da AGDL e tome conhecimento de todas as notícias e assuntos atinentes à associação
Associação dos Governadores dos Dist. Múltiplos L
Conheça o Clube Filatélico do Lions Internacional que congrega filatelistas associados dos Lions Clubes em todo o mundo
LISC: Lions International Stamp Club

Leia aqui artigos sobre jornalismo, educação, tecnologia e as combinações disso tudo
A Apple deveria tirar seus advogados de cena e deixar seus engenheiros liderarem a disputa com a concorrência. Ainda mais se pensarmos que a mesma Apple já foi uma "pirata".